Texto do leitor: Apaixonado


Era véspera de ano novo quando Ricardo contou que estava apaixonado. Bernardo, o seu melhor amigo escutava com atenção. Os dois rapazes caminhavam pelo shopping lotado. Faltava uma hora para as lojas fecharem.
– Eu amei ele, Bernardo. Eu preciso dele. Você não está entendendo. – os olhos de Ricardo brilhavam de excitação.
– Eu entendo, Ricardo. Sei bem como você está se sentindo. Ele é realmente muito lindo. Até eu ia querê-lo se pudesse – Bernardo olhou para a aliança prateada no dedo.
Os vendedores abutres escutavam com atenção a conversa, curiosos para saberem mais sobre o que os jovens estavam falando.
– Não me lembro quando foi a última vez que eu fiquei assim. Meu peito chega a doer.
– Calma aí. Você está dizendo que foi amor à primeira vista? – Bernardo já tinha ouvido aquela conversa tantas vezes e ainda se surpreendia com a reação de Ricardo. Era hilário ver o amigo sofrendo de amores.
– Sim. Ele é tudo o que eu preciso no momento para ser feliz.
– Exagerado! – Bernardo balançou a cabeça de um lado para o outro.
– Eu estou falando sério, Bernardo. Você não acredita em mim?
– Você não vai morrer se não conseguir ele. Você sabe como essas paixões são. No começo você está louco de vontade para tê-lo, depois passa um tempo e você já não está tão interessado assim. É como um ciclo.
– Mas ele é tão gostoso, fofo e maravilhoso. É exatamente o meu número... – Ricardo fez uma cara de triste.
Uma senhora escutava a conversa e estava louca de vontade para saber quem era o rapaz que Ricardo tanto falava a respeito.
– Não se desespere. Se for para ser seu, será. – Bernardo tentou consolar Ricardo, como qualquer bom amigo faria com uma frase clichê.
“Está olhando o quê?”, pensava Ricardo enquanto se indignava com a indiscrição da mulher. De mau humor, Ricardo cruzou os braços e fez uma careta para a velha que escutava a conversa e não parava de encará-lo, até cair na real e sair de perto.
Bernardo levantou os ombros e sorriu. Era típico de Ricardo fazer aquilo.
– Você viu a cara dela? – os dois riam imaginando o que os outros pensariam ao ouvir a conversa.
Bernardo e Ricardo deram a volta pelo shopping, desceram e subiram as escadas e a paixão incontrolável persistia. Ricardo comprou uma camisa para se distrair, mas seus pensamentos não o deixavam em paz.
– Nossa, amigo. Olhando para você até fiquei com dó. Você está quase chorando! Relaxa um pouco.
– Vai dizer que você também não o achou perfeito?
– Se eu te disser que eu preferi aquele que estava ao lado dele?
– Lindo também, mas aquele é perfeito – Ricardo parou, ficou olhando para Bernardo e teve que perguntar – Você acha que eu sou louco por ter me apaixonado por ele? 
– Fala sério, Ricardo. Quem sou eu para te julgar? O coração quer o que o coração quer. Para com essas inseguranças.
– Sei lá. Você não me acha fútil por estar louco só porque ele é bonitinho?
– Não. Se você está apaixonado por ele e vai se sentir feliz, então, por que não?
– Sabe, prefiro levar ele para casa comigo do que namorar de novo. É menos dor de cabeça e dura mais.
– Se duvidar, dura mais do que muitos namoros por aí.
– Meu ano novo não vai ser o mesmo sem ele. – Ricardo se convencia de que estava fazendo a coisa certa.
Faltando quinze minutos para as lojas fecharem, Ricardo e Bernardo voltaram ao local onde o amigo se apaixonou. Era inevitável lutar contra aqueles sentimentos. Ricardo não era forte o suficiente.
Bernardo se sentou enquanto assistia a cena. Não havia nada mais gratificante do que ver o seu amigo cheio de vida.
– Oi... Voltei. – Ricardo disse para a mulher que o olhava com esperança – Vou querer aquele par de sapatos.
– Eu sabia que você não ia resistir. – Bernardo comentou enquanto os dois riam.
– Não vejo a hora de usá-lo. – Ricardo imaginava como seria o seu look da noite.
A vendedora os levou para fora e em instantes a loja fechou.
 Sua paixão durou até o dia em que Ricardo passou em frente à vitrine e ficou encantado. Tentava se controlar, mas não adiantava. Era apaixonado por sapatos.
Texto escrito por: Ben Oliveira



6 comentários:

  1. Gente eu adorei esse texto hauhauah <3
    needfulglam.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou! Também adorei, achei criativo. :)

      Excluir
  2. Adorei o texto *--*

    http://colorful-mushrooms.blogspot.com.br/

    Beijoos ;*

    ResponderExcluir
  3. No começo eu pensei que Ricardo era um gay ... mas ler tudo percebi que era sua paixão por sapatos e confesso rir kkk está muito bom , adorei a crônica e faça mais desse tipo <3
    www.omundinhoquaseperfeito.com
    Beijos da Ketty ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Né? EU também pensei dessa forma. hahaha Achei o máximo o texto dele. :D

      Excluir

Obrigada por comentar. Volte sempre! ♥


Me acompanhe pelo Instagram | @nahboa


NAH BOA - No ar desde 15 de agosto de 2013
LAYOUT POR LUSA AGÊNCIA DIGITAL| PROIBIDO A CÓPIA DE QUALQUER CONTEÚDO E LAYOUT DESTE SITE. PLÁGIO É CRIME / lei 9610/98